Anda estressado? Cuidado você pode ficar careca mais rápido do que imagina! Aprenda a reverter isso.


Oi, pessoas. Hoje vamos falar sobre um assunto muito importante relacionado à queda capilar. O famoso e diário estresse. Sem dúvidas, o nosso psicológico influencia e muito em todos os aspectos das nossas vidas. Isso porque as ações que ocorrem no cérebro estão completamente interligadas ao resto do organismo humano.

Com toda essa conclusão a respeito dos aspectos psicológicos em relação aos físicos, é sim realidade que o estresse influencia na queda capilar. E não é pouco não. Dependendo do seu grau de stress, você pode perder completamente os fios.

Os casos mais comuns desse estilo de queda capilar ocorrem no mercado de trabalho e também em universidade, cursinhos pré-vestibulares e escolas com crianças e adolescentes vítimas de bullying.

O estresse no mercado de trabalho e a queda de cabelo

No mercado de trabalho, várias possibilidades de estresse podem ocorrer. A principal e mais frequente é com relação aos chefes e a pressão que colocam em cima dos funcionários. Uma pessoa mais insegura pode se sentir ameaçada e trazer esse tipo de assédio moral para dentro da vida dela. Assim, o estresse provocado pode gerar diversas complicações, como a queda de cabelo.

2 Presentes + Acesso VIP GRÁTIS!

Cadastre-se e recebe agora 2 Books com 20 Receitas Caseiras SUPERSUCOS + 14 Práticos Chás TERAPÊUTICOS + Acesso VIP Premium.

envelope
envelope

Outra possibilidade é por conta da concorrência. Seja ela entre funcionários da própria empresa, ou a que ocorre entre empresas. Esse tipo de pressão atinge muito as pessoas que não estão acostumadas com o maquiavélico mercado de trabalho. O stress pode ser levado para dentro de casa e dali se transformar em algo rotineiro. Atrapalhar noites de sono e causar a queda capilar, além de outros diversos malefícios.

A terceira e mais atual possibilidade tem a ver com o medo do desemprego. Atual porque o país vive por uma crise econômica e política forte, o que tem aumentado o número de demissões e diminuído o de contratações. Quando o funcionário percebe que a empresa está em período de recessão, demitindo pessoas e diminuindo custos, já gera um estresse. Ainda mais com o noticiário diariamente mostrando outras empresas que passam pelo mesmo processo. Isso vai piorar a situação de insegurança e estresse da pessoa. Aí, com ou sem ela ser demitida, essa sensação de que pode ser a próxima a ir embora vai influenciar e muito na vida pessoal e na questão física dela. A queda capilar é uma consequência comum.

O estresse na escola e sua relação com a queda de cabelo

Durante a infância e a adolescência o stress também pode causar a queda capilar. E neste caso, são diversos os motivos. Vou citar apenas os mais comuns, pois podem existir muitas variáveis que vão interferir na produção e manutenção de fios. É melhor se conter nas bases mais tradicionais.

O primeiro e talvez mais recorrente motivo de estresse na adolescência é o pré-vestibular. A pressão dos pais, da escola, dos professores, dos colegas e a sua própria interferem diretamente na forma que você vive. Pode gerar, inclusive, quadros mais graves como depressão e pânico, por exemplo.

Essa pressão reverte em diversos problemas de ordem física no estudante. Inclusive a queda capilar. Quanto mais pressão o adolescente sofrer e quanto menos preparado ele estiver para isso, mais problemas ele vai ter. Em vez de ajudar, vai acabar atrapalhando mais ainda e fazer com que o adolescente não passe no vestibular e ainda tenha um forte problema psicológico para resolver. Pais têm que tomar muito cuidado com essa questão.

Outra possibilidade ocorre na própria faculdade. A pressão muda e agora você se torna o dono dos seus próprios atos. A distância da família adicionada a uma forma de viver independente e a necessidade de ter bons resultados para conseguir ingressar no mercado de trabalho pode causar muitos problemas psicológicos. Quando fiz universidade, vi colegas sendo internados, outros com problemas com drogas e também tinha uma amiga de sala com queda capilar por causa da pressão dentro da universidade.

É muito mais comum do que se imagina. Porque além da pressão dos pais que estão distantes, o jovem tem que lidar com um amadurecimento rápido e uma completa mudança de vida. Tudo isso aliado a um curso difícil, professores exigentes e a tentativa de se destacar, não tem como dar em outro resultado. É estresse atrás de estresse.

Na infância e adolescência isso também pode ocorrer. O culpado de tudo é o bullying. Junto com ele podem vir consequências que vão durar a vida inteira daquela criança. Por isso, ele deve ser fortemente combatido. A queda capilar é o menor dos problemas de uma criança que sofre bullying, apesar de ser sério e afetar diretamente a autoestima dela que já está baixa.

A escola, os pais e o governo precisam tomar medidas educativas e repressivas para acabar definitivamente com esse mal que assola as escolas brasileiras. A culpa de existirem alunos que agem assim é dos próprios pais que incentivam o filho a agredir, a ser popular a qualquer custo, a discriminar e agir com preconceito. É preciso descobrir formas de educar as crianças e punir os pais por esses crimes que podem acabar em tragédias.

A relação do estresse com a queda de cabelo

Todos esses exemplos foram destacados para deixar bem clara a relação entre aspectos do cotidiano que ocorrem sempre com a queda de cabelo. O estresse está intimamente ligado à destruição dos fios capilares.

Porém, nem todas as pessoas que são estressadas possuem queda de cabelo. Leia-se estresse como doença, não como a raiva que você passou em um dia qualquer. Outros problemas também podem aparecer, inclusive mais graves. Arritmia, gastrite, hipertensão, alergias, doenças autoimunes e outras diversas possibilidades.

Mas como ocorre essa ligação do stress com a queda de cabelo? É simples. Quando a pessoa atinge o nível de estresse alto, transformando-o em um doente, os neurônios ficam inflamados. Como se fosse sua garganta quando está gripado. Essa inflamação produz substâncias químicas que são liberadas para o nosso organismo. E são elas que produzem todos os sintomas relacionados ao elevado contato com o estresse.

Você quer saber descobrir os seu estágio de calvície e queda de cabelos, e ainda receber uma dica personalizada do Dr. Rafael Freitas? Então faça o teste online grátis – é rápido leva apenas 3 minutos e você já recebe na hora uma recomendação do que deve fazer. Para participar CLIQUE AQUI!

Essas substâncias inflamatórias podem atingir as nossas células de imunidade; podem atacar também as responsáveis pela nossa pele, cabelo, unhas; podem causar inflamação dos nossos folículos capilares e pode matar as células da matriz do nosso cabelo.

Essa enorme gama de possibilidades causadas pelo estresse é que reflete na queda de cabelos. Eles param de crescer, começam a ficar fracos e a cair. Tudo isso por conta dessa inflamação e das substâncias produzidas provenientes dela.

Não se engane, não tente se enganar. O estresse provoca queda de cabelos.

Veja também: Conheça a emocionante história da Dona Laurita, que conseguiu Reverter a Queda de Cabelo, Sem tomar Nenhum Medicamento! e Existe Gordura ruim e gordura boa? Ou gordura é tudo igual?

>