8 Fatores Que Prejudicam suas Bactérias Intestinais e Você Não Sabia


As bactérias intestinais do corpo humano são extremamente importantes para a saúde geral do organismo. Um único intestino pode chegar a abrigar mais de 100 trilhões dessas bactérias.

Porém, existem 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia. Saiba como se prevenir.

Na tentativa de adotar um estilo de vida saudável, muitas dietas podem acabar tendo o efeito inverso. Por isso, podem transformar sua saúde intestinal em um tormento, impedindo a absorção de nutrientes da forma correta. Além disso, podem afetar o organismo em suas funções. É importante se informar sobre o assunto.

No intestino estão presentes bactérias tanto benéficas quanto maléficas. A maioria delas pertence a um dos seguintes quatro grupos:

  • Firmicutes;
  • Bacteroidetes;
  • Actinobacteria;
  • Proteobacteria.

Cada grupo desses precisa de nutrientes diferentes para se desenvolver.

Os papéis de cada grupo de bactérias são diferentes no corpo humano. Aquelas  positivas para a saúde podem, por exemplo, auxiliar na digestão. Elas podem ainda destruir outras bactérias ou microrganismos nocivos, além de produzir vitamina K, folato e ácidos graxos de cadeia curta.

Conheça os 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia

bacteriasA disbiose é conhecida como a consequência do desequilíbrio de uma flora intestinal com excesso de bactérias nocivas.

Ela pode estar relacionado à  resistência à insulina, ganho de peso, inflamação, obesidade, doença inflamatória intestinal e câncer colo retal. A redução de diversidade das bactérias do intestino podem fazer com ela se acentue ainda mais.

Portanto, investir em formas de manter suas bactérias o mais diversificadas e amigáveis  possível é uma maneira de cuidar do seu corpo. Isso também ajuda a manter o funcionamento do seu organismo em máxima potência.

Pra isso, você pode começar evitando os 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia. Aposte  em um estilo de vida que priorize sua saúde acima de qualquer coisa.

1. Não variar o cardápio

Não variar o cardápio prejudica a diversidade da flora intestinal. Isso acontece quando são ingeridos os diversos tipos de alimentos disponíveis na pirâmide alimentar (frutas, vegetais, leguminosas entre outros). A consequência é a dificuldade na recuperação do organismo de influências nocivas à saúde.

Isso possibilita que infecções se alastrem pelo corpo, diminuindo a imunidade e deixando seu organismo suscetível a problemas na saúde. Estes podem ser facilmente evitados adicionando diferentes elementos aos seus pratos e entre as grandes refeições.

O que você ingere é o que possibilita que as bactérias se nutram e cresçam. Apostar, especialmente, em alimentos integrais, cria um ambiente propício para o desenvolvimento de diferentes tipos de bactérias.

O resultado é uma flora intestinal diversificada e com alto potencial de proteção para seu corpo.

Com o passar do tempo, menos espécies de plantas e animais passaram a fazer parte da dieta e alimentação do cardápio ocidental. Isso fez com que a diversidade da flora intestinal se tornasse cada vez menor e menos funcional.

Apenas pessoas que vivem em regiões rurais da África e da América do Sul, atualmente, possuem essa alta diversificação de bactérias. Isso se deve ao fato delas investirem em grandes fontes de proteínas vegetais.

Ou seja, focar em uma alimentação de qualidade vai muito além da estética. Ela é essencial para equilibrar o corpo e dar mais disposição para o dia a dia.

2. Ausência de prebióticos na alimentação

É necessário investir em prebióticos na alimentação. Estes  são um tipo de fibra que não é digerido e, ao ser transportado pelo corpo, promove o crescimento de bactérias intestinais amigáveis. Para adquiri-lo é importante incluir frutas, vegetais e grãos inteiros nas refeições.

Esses grupos alimentares contém naturalmente em sua composição a fibra. Sua falta prejudica todo o processo de digestão. Por isso, inclua aveia, alcachofras, lentilha, grão de bico e feijão na alimentação. Assim será possível sentir a diferença na hora de digerir suas refeições.

Com a ingestão de prebióticos é possível aumentar a produção de ácidos graxos de cadeia curta. Estes  são a principal fonte de nutrientes para as células do cólon. Quando absorvidas através do sangue, melhoram a saúde digestiva e combatem uma série de problemas.

Dentre esses problemas estão inclusos a obesidade, o risco de câncer colo retal, inflamações e outros.

Os prebióticos reduzem inflamações e promovem saúde metabólica e digestiva, através do crescimento de bactérias saudáveis como a Bifidobacterium e a Faecalibacterium.

Frutas, vegetais e grãos integrais, portanto, evitam um dos 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia.

3. Abusar do álcool

Ingerir grandes quantidades de álcool, além de aumentar a propensão a vícios, pode agregar alta toxicidade a seu corpo. Em termos de saúde intestinal, isso promove a disbiose, além de outros problemas.

Há claras diferenças ao se comparar os intestinos de alcoólatras com o de pessoas que consomem pouco ou nenhum álcool. A disbiose estava presente em 27% dos que ingeriam muito álcool e em nenhum dos indivíduos que não o incluíam na dieta.

Até mesmo o tipo de álcool afeta diretamente na saúde intestinal. Indivíduos que consomem gim podem ter queda nas taxas de bactérias benéficas. Já quem consome vinho, tem um aumento destas e ainda a redução de bactérias prejudiciais na região intestinal.

O vinho contém uma grande quantidade de polifenóis, que pode ser considerada benéfica para a saúde intestinal, desde que não seja consumida em excesso.

Os polifenóis são compostos de plantas que escapam à digestão e são quebrados por bactérias intestinais. Eles também podem ajudar a reduzir a pressão arterial e melhorar o colesterol.

Por isso, a orientação é que sejam evitados altos consumos de álcool. No entanto, quando necessário, o ideal é priorizar o vinho, que com moderação pode até ser benéfico à flora intestinal.

4. Abusar do uso de antibióticos

Na hora de tratar infecções e doenças causadas por bactérias, é muito comum recorrer ao uso de antibióticos. Porém, eles afetam também as bactérias boas, pois evitam a reprodução de bactérias no organismo.

Apesar de muito importantes para salvar vidas, sua ação não é específica apenas para bactérias más, mas para todas. Durante um tratamento com antibióticos, é importante redobrar a atenção com a flora intestinal. Isso porque ela pode ser amplamente alterada pela ação do medicamento.

Com uso de antibióticos, bactérias nocivas como a Clostridium têm seu percentual aumentado temporariamente.

Depois de terminado o tempo de tratamento, dificilmente as bactérias retornam a seus níveis normais. A flora intestinal é alterada a longo prazo.

Os efeitos de tratamentos com antibióticos podem permanecer por até dois anos. Eles afetam  a diversificação e a composição das bactérias do intestino, podendo ser nocivo a ele.

5. Não fazer exercícios físicos

Um dos 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia é um erro muito comum em quem aposta em um estilo de vida mais saudável. Muitas pessoas investem em alimentos saudáveis, mas se esquecem das atividades físicas.

Movimentar-se de qualquer maneira pode ser considerado como uma prática de exercícios físicos. Claro, desde que queime energia e calorias corporais. Uma vida sedentária, além de fazer mal ao corpo , ainda prejudica a saúde do intestino.

Existem algumas práticas que podem ser incluídas no dia a dia. Como, por exemplo, caminhada, natação, danças, lutas orientais, yoga, pilates, tênis… É importante encontrar uma que se encaixe no seu cotidiano e praticá-la pelo menos três vezes na semana.

Um ácido graxo de cadeia curta chamado butirato está comprovadamente associado à prática de exercícios físicos. Esse ácido é extremamente importante para a saúde intestinal. Praticantes recorrentes de exercícios chegam a ter seus níveis dobrados de famílias bacterianas produtoras do butirato.

Em termos de proteção contra a obesidade, a prática regular de exercícios promove o crescimento da bactéria Akkermansia. Esta desempenha um importante papel na saúde metabólica e na prevenção da doença.

A atividade física, mesmo em níveis moderados, é uma das melhores saídas para a saúde da flora intestinal.

Aliada a um bom cardápio, mantém o corpo equilibrado e saudável, prevenindo doenças e auxiliando no aumento da imunidade corporal. Esses efeitos não são observados em indivíduos inativos.

6. Fumar

O vício no cigarro também é maléfico para a saúde do intestino.

Os produtos químicos contidos na fumaça do cigarro possuem alta chances de causar câncer. Além disso, danificam todos os órgãos do corpo e aumenta as chances de doenças cardíacas ou acidentes vasculares cerebrais.

Além disso, o tabagismo contribui para a doença inflamatória intestinal, que inflama o trato digestivo. A doença conhecida como doença de Crohn também é mais comum em fumantes do que em não-fumantes. Essa doença inflama os intestinos.

Não-fumantes possuem maior diversidade da flora intestinal e parar de fumar também promove o aumento de bactérias benéficas. Deixar o vício beneficia o corpo e melhora a qualidade de vida.

7. Não dormir bem

Não priorizar o sono também é um erro comum entre os 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia. Um corpo descansado possui maior desempenho ao longo do dia e é muito importante para a saúde em geral, prevenindo a obesidade e as doenças cardíacas.

Seu corpo possui o chamado ritmo circadiano, que é uma espécie de relógio interno que afeta seu cérebro, corpo e hormônios. Esse “relógio” sabe a hora de mantê-lo atento e concentrado, mas também avisa a hora de descansar.

O intestino também possui seu relógio circadiano, pois as bactérias nocivas ao intestino se aproveitam da privação de sono para obter, em sua diversidade, bactérias associadas ao ganho de peso, à obesidade, à redução da velocidade do metabolismo e ao diabetes tipo 2.

Apesar do efeito da falta de sono no intestino ainda ser uma área em estudo, sabe-se que menos de 8 horas de sono diárias podem acarretam vários problemas. Respeitar seu ritmo circadiano sem interrompê-lo é fundamental.

8. Estresse

Ser submetido a uma grande quantidade de estresse também é prejudicial. Ao cuidar da saúde se alimentando bem, praticando atividades físicas e priorizando o sono, muitos se esquecem de cuidar da mente.

Altos níveis de estresse são relacionados ao aumento de sensibilidade intestinal, à redução do fluxo sanguíneo dessa região e na produção de menos bactérias diversificadas. Tanto o isolamento quanto o estresse podem ter esses efeitos.

Universitários, por exemplo, que são submetidos a altos níveis de estresse nos fins de semestre possuem as composições de suas floras bacterianas intestinais alteradas. No início do semestre, a diversidade é muito mais alta do que no fim, inclusive, nessa época, sendo aumentadas as quantidade de bactérias nocivas.

Essa é uma área nova de pesquisa, e analisar a relação entre estresse e a diversidade da flora intestinal demonstra uma relação inversamente proporcional, apesar de ainda não existirem estudos 100% conclusivos.

Dicas para otimizar o funcionamento de sua flora intestinal

cuidados com o intestinoEstá claro que a saúde do intestino está diretamente ligada à diversidade da flora intestinal e à quantidade de bactérias boas em sua composição. Para isso, é necessário consumir mais alimentos prebióticos, melhorar a diversidade do cardápio, deixar vícios e praticar mais atividades físicas.

Aposte nas dicas abaixo:

  • Inclua probióticos em sua alimentação, como iogurtes naturais, kimchi, kefir e tempeh. Caso tenha dificuldades de encontrar esses alimentos, você também pode investir em suplementos que contenham esse composto.
  • Passe mais tempo de qualidade perto que quem ama e invista em momentos do dia para relaxar. Uma mente desequilibrada com certeza afeta a saúde do corpo e aumenta as taxas de estresse que influenciam no descontrole da flora intestinal.
  • Inclua em sua rotina de exercícios momentos para meditar e para descansar a mente. Além do exercício auxiliar na redução do estresse, momentos breves de repouso auxiliam na continuidade do dia com concentração e maior disposição.
  • Melhore a qualidade do seu sono! Além de apostar em 8 horas por noite, certifique-se de que esse sono seja bem aproveitado em total escuridão e com rotinas para dormir e acordar. Você pode procurar ajuda profissional ou contar com aplicativos e ferramentas que já auxiliam nesse aspecto.
  • Inclua em sua dieta alimentos ricos em polifenóis, como o vinho tinto, chocolate – dando preferência para os tipos com mais de 60% de cacau e orgânicos, chá verde e mirtilos.

O papel das bactérias intestinais na saúde em geral

Uma flora intestinal equilibrada está associada à absorção completa de nutrientes consumidos ao longo do dia com a ajuda de uma alimentação balanceada e diversificada.

Seguir um estilo de vida que prioriza o bem estar, a longevidade, a qualidade de vida e os cuidados com o corpo é a melhor forma de garantir uma flora intestinal saudável e não se submeter aos 8 fatores que prejudicam suas bactérias intestinais e você não sabia.