Confira 12 Benefícios da Ciência da Meditação Para o Corpo


Muitas pessoas não sabem, mas existem diversos benefícios que podem ser gerados pela da ciência da meditação. Essa é uma prática que tem se popularizado cada vez mais. Por isso está sendo amplamente estudada por diversos cientistas, visto que ela melhora a saúde física e mental (1).

Essa atividade tem se tornado muito popular entre as pessoas. Além de gerar melhorias para os indivíduos, é possível meditar em qualquer lugar ou hora. Isso é essencial para quem possui uma rotina atarefada e não dispõem de muito tempo sobrando.

A origem desse conjunto de técnicas que auxiliam no melhoramento da atenção e na estimulação do relaxamento tem raízes orientais, mais especificamente no budismo. Contudo, com o passar do tempo essa prática foi sendo estudada e  hoje nós temos a ciência da meditação.

Especialistas têm analisado os efeitos da meditação em pessoas que praticam a atividade (2). Hoje, já é possível provar uma série de benefícios da ciência da meditação em praticantes contínuos. E é por isso que essa atividade tem ganhado cada vez mais respeito dentro do meio científico.

Por que a ciência da meditação tem se tornado popular?

Esse conjunto de técnicas de origens milenares tem se popularizado cada vez mais. Isso porque vários estudos já provaram que a ciência da meditação é realmente eficaz. Ela estimula mudanças mentais em quem as pratica e também gera modificações fisiológicas.

Por exemplo, um estudo avaliou 33 pessoas que participavam de um programa de meditação. Ele mostrou que, em curto prazo, as pessoas demonstraram uma idade biológica menor em 2,2 anos. Em outro grupo eles aplicaram o experimento em longo prazo e os participantes aparentavam ser cinco anos mais jovens (3).

Além de ser uma atividade que não exige a utilização de aparelhos sofisticados, ela também pode ser realizada por qualquer pessoa. E isso independe da faixa etária. Hoje existem vários centros que oferecem aulas do gênero para pessoas que desejam mudar os hábitos.

A ciência da meditação tem se mostrado cada vez mais eficaz. E por conta disso tem se popularizado também no ocidente. Antes, ela era encarada como uma prática apenas de pessoas com descendência oriental. Contudo, atualmente, ela já vista como um tratamento de saúde universal.

Confira a seguir os benefícios que a ciência da meditação pode gerar para o corpo.

1. Reduz o Estresse

O estresse é um mau que atinge grande parte da população. Com a chegada da era digital, esse problema se tornou ainda pior. Isso porque, agora, as pessoas têm mais dificuldade de se desligar completamente do trabalho ou da vida social. E isso gera uma sobrecarga mental e física.

Por isso, muitos indivíduos têm procurado na ciência da meditação a solução para diminuir o estresse diário. E isso tem funcionado. Um estudo aponta que o tratamento auxilia na redução dos hormônios cortisol, TSH e GH, que estão intrinsicamente ligados ao estresse (4).

O cortisol é um dos hormônios que mais preocupam os médicos. Ele interfere diretamente nas necessidades fisiológicas, liberando as chamadas citoquinas. Estas provocam alterações no sono e estimulam os sintomas de ansiedade e depressão (5).

Contudo, pesquisas apontam que a ciência da meditação é eficaz contra a produção desse hormônio. Para se ter uma ideia, um estudo de dois meses revelou que a chamada “meditação de atenção” ajuda na redução da inflamação do organismo.

2. Controla a Ansiedade

Outro grande transtorno que assola a população é a ansiedade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é país que possui a maior taxa de pessoas que sofrem com transtornos de ansiedade. Esse é um dado extremamente preocupante.

Esse tipo de distúrbio pode ser gerado tanto por fatores psicológicos, como biológicos. Entretanto, uma coisa é certa: as pessoas que possuem esse problema têm grandes dificuldades no seu dia a dia. Muitas vezes, uma simples decisão pode se tornar uma tempestade na mente do indivíduo.

Para combater esse mau, muitas pesquisas já mostraram que a ciência da meditação pode gerar resultados extremamente satisfatórios. Um estudo apontou que um grupo que praticou o exercício por oito semanas teve seus índices de ansiedade reduzidos (6).

Além disso, outro estudo que acompanhou um grupo de 18 voluntários por três anos obteve um resultado interessante. Segundo o estudo, a maioria deles, ao dar continuidade ao tratamento com base na ciência da meditação, conseguiu manter seus níveis baixos e controlados (7).

3. Estimula a Saúde Emocional

A saúde emocional é essencial para que o indivíduo consiga controlar suas emoções de forma adequada, sem se deixar levar por problemas externos. Contudo, manter o equilíbrio dela é muito difícil. E isso acontece porque vivemos em um ritmo diário que exige muito do nosso físico e psicológico.

Segundo algumas pesquisas, a ciência da meditação também é eficaz nesse sentido. Justamente porque ela ajuda o praticante a ter uma visão mais ampla sobre a vida. O exercício estimula a avaliação das coisas que realmente importam e daquelas que podem ser deixadas de lado.

Segundo pesquisas realizadas pela Sociedade Internacional de Meditação, o tratamento auxilia no funcionamento neurofisiológico do indivíduo. E este, por sua vez, interfere diretamente na diminuição de problemas como, ansiedade, estresse e depressão (8).

4. Melhora a Autoconsciência

Compreender a si mesmo é um passo essencial para se manter um equilíbrio mental e físico. É através da exploração do  próprio subconsciente que se torna possível avaliar as decisões tomadas diariamente de uma forma mais neutra, evitando que problemas externos interfiram no julgamento (9).

A meditação estimula o indivíduo a alcançar um estado de relaxamento. Nesse estado ele consigue avaliar seus hábitos de forma mais consciente, construindo, dessa maneira, atitudes mais estruturadas e que tenham resultados melhores do que as anteriores (10).

Além disso, esse tipo de tratamento também auxilia os praticantes a elaborarem soluções mais criativas para seus problemas. Ou seja, a partir do momento que os indivíduos têm noção do seu subconsciente, eles têm uma visão mais ampla na hora de tomar decisões (11).

5. Aumenta e melhora a atenção

Um dos principais objetivos da ciência da meditação é justamente melhorar a atenção. A atividade estimula  o indivíduo a deixar de lado os pensamentos que ocupam sua mente diariamente. Dessa forma, ele consegue focar apenas no equilíbrio do corpo e da mente.

Em um estudo brasileiro realizado em Porto Alegre, 105 praticantes de meditação passiva foram avaliados. A pesquisa revelou que 46,7% tiveram respostas satisfatórias em relação ao aumento da atenção, bem como a busca pelo autoconhecimento (12).

Isso mostra todo o poder da ciência da meditação. Mais do que uma prática de relaxamento, ela é essencial para que as pessoas consigam alcançar o equilíbrio físico e mental perfeito. Tenha em mente que isso irá interferir diretamente no cotidiano da pessoa que prática essa atividade.

6. Pode reduzir a perda de memória causada pelo avanço da idade

O envelhecimento é algo que ninguém pode parar. Nosso corpo vai perdendo força com o tempo, deixando de realizar tarefas de maneira eficaz. Com o tempo, o corpo passa a precisar de mais auxílio para continuar funcionando. Contudo, diversos especialistas estão apostando na ciência da meditação para combater isso.

Um estudo realizado com 53 participantes durante três meses mostrou que a maioria do grupo apresentou uma melhora significativa na memória. Além disso, outras funções cognitivas essenciais para o funcionamento do organismo também melhoraram (13).

Outra pesquisa  mostrou ainda que a meditação é ideal para o envelhecimento saudável. Isso porque, a prática estimula os circuitos neurais essenciais para o bom funcionamento de funções cognitivas importantes no corpo (14).

7. Pode ajudar a gerar atitudes positivas

A meditação também é uma ótima prática para incentivar as atividades positivas. A partir do momento em que uma pessoa consegue compreender melhor seus próprios questionamentos, ela passa a enxergar o outro com mais empatia.

Um estudo avaliou 44 pessoas que praticaram a atividade durante nove dias. Ele mostrou que grande parte do grupo teve aumentos significativos nas taxas de humanidade e compaixão. Os indivíduos passaram a ter consciência que eles fazem parte de um todo (15).

Outra pesquisa apontou que, quanto mais esforço as pessoas empregam na hora de meditar, mais sentimentos positivos elas geram. Isso acontece porque a atividade está diretamente ligada ao emocional do praticamente, o que permite uma abordagem mais profunda e delicada (16).

Todos esses dados mostram que a ciência da meditação pode ter muitos efeitos positivos. É possível, por exemplo, alterar funções fisiológicas, bem como hábitos do subconsciente. Além disso, os resultados desse tipo de prática atingem também as pessoas ligadas ao praticante.

8. Pode ajudar na luta contra dependências 

A ciência da meditação também tem sido utilizada como tratamento complementar para dependências, principalmente em pacientes viciados em psicoativos (17). Ela é considerada uma espécie de treinamento com foco fechado.

Por isso, diversos especialistas apontam que é possível utilizar a atividade para combater qualquer tipo de dependência, fobia, síndrome e trauma. E isso justamente porque o conjunto de técnicas atua como uma ferramenta de autoconhecimento, que auxilia o paciente a compreender a si mesmo.

Além disso, segundo estudos, a meditação ajuda a aumentar o autocontrole dos dependentes, evitando que eles voltem a buscar os vícios (18). Esse tipo de tratamento estimula o indivíduo a compreender porque seus comportamentos viciantes eram ruins.

Por isso, a ciência da meditação tem sido cada vez mais utilizada como um método complementar de tratamentos de dependências  físicas ou mentais. Além de ser mais saudável, a atividade consegue gerar excelentes resultados.

9. Melhora o sono

Com a correria do dia a dia, é normal muitas pessoas sofrerem de insônia. Vivemos em um tempo onde as pessoas ficam conectados praticamente 24 horas por dia e o corpo tem dificuldades de se desligar e relaxar. Isso, sem dúvida, acaba acarretando uma série de problemas.

Por isso, a ciência da meditação tem sido utilizada para melhorar a qualidade do sono. Um estudo  avaliou um grupo de mulheres na perimenopausa, etapa que ocorre anos antes da menopausa. Ele mostrou excelentes resultados nesse sentido, já que todas as participantes tiveram melhoras significativas no ciclo de sono.

Além disso, uma parte do grupo fez um tratamento de Higiene do Sono em conjunto com a meditação. E também registrou uma queda nos índices de insônia (19).

Outra pesquisa apontou que um grupo de voluntários que começou a praticar meditação conseguiu adormecer mais rapidamente, tendo como comparação pessoas que não praticam a atividade (20). Isso mostra a eficácia desse conjunto de técnicas tão popular.

10. Ajuda a controlar a dor

A sensação de dor está totalmente ligada ao equilíbrio físico, mental e emocional de uma pessoa. Quanto mais controle ela tiver sobre esses três aspectos, mais controle ela terá sobre a dor. E isso se aplica tanto para a dor que é desencadeada pelo estímulo físico quanto mental.

Várias pesquisas mostram como a ciência da meditação pode ser muito eficaz, principalmente, no tratamento de dores crônicas. Segundo especialistas, a atividade interfere diretamente no Sistema Nervoso Central, bem como no Neurovegetativo, reduzindo a excitação causada pela dor (21).

É por isso que pessoas que praticam a meditação, principalmente com foco no relaxamento, tendem a mostrar menos sensibilidade à dor (22). Além disso, segundo especialistas, o estado analgésico do relaxamento estimula a atividade do Sistema Nervoso Parasimpático, tornando a sensação menos ruim (23).

11. Pode diminuir a pressão arterial

Diversos estudos também  comprovaram que a meditação pode auxiliar no controle de problemas físicos. É o caso da hipertensão, por exemplo. Por conta da indução ao estado de relaxamento, o indivíduo tende a ter uma diminuição significativa da pressão arterial, o que auxilia no controle da doença.

Um estudo avaliou 30 voluntários homens por três meses. O resultado mostrou que os dois grupos que praticaram a atividade obtiveram uma redução  significativa da pressão arterial sistólica (PAS). Um dos grupos, inclusive aliou as atividades à prática de Yoga, que envolve processos da meditação.

Outra pesquisa também mostrou que a atividade ajuda no controle da frequência cardíaca. Um grupo de jovens praticou a meditação por cerca de dez minutos durante três meses. O resultado foi que os voluntários tiveram uma redução significativa da PAS bem como maior controle cardíaco (25).

Por isso, a prática tem sido recomendada por muitos médicos. Além de não necessitar de nenhum tipo de aparelho específico, ela pode ser praticada por qualquer pessoa, independentemente da faixa etária. Isso torna o tratamento ainda mais acessível.

12. Você pode meditar em qualquer lugar e a qualquer hora

Um dos grandes pontos fortes da meditação é que você pode praticá-la em qualquer lugar e a qualquer hora do dia. Pode ser tanto no intervalo do almoço, como alguns minutos antes de dormir. Isso torna a atividade ainda mais acessível e benéfica.

Existe uma série de tipos de meditação. Alguns são mais focados no estado de relaxamento, outros no aumento da atenção. Há ainda aqueles que focam no equilibro espiritual. Por isso, o ideal é que você analise qual modelo se encaixa melhor às suas necessidades e comece a praticar hoje mesmo.

Como a ciência da meditação altera a sua vida?

Além dos benefícios citados acima, a ciência da meditação apode alterar a sua vida de diversas maneiras. Isso porque ela envolve seu estado mental e físico. Logo, ela possui efeitos extremamente benéficos. Veja alguns:

  • Você aprende a mudar hábitos: A ciência da meditação te ensina a modificar a sua vida como um todo. Com ela você aprende a identificar hábitos ruins e a substituí-los por práticas boas;
  • É um exercício de autoconhecimento: Mais do que uma atividade física e mental, a prática é um excelente exercício de autoconhecimento. Isso porque, ele estimula a autoavaliação. Dessa maneira, é possível identificar pontos que você deseja mudar em si mesmo;
  • Modifica sua visão sobre o mundo: Ao praticar esse conjunto de técnicas, você desenvolve uma nova visão do mundo. Isso porque, essa prática estimula o melhoramento da atenção bem como um estudo aprofundado de si mesmo.

A ciência da meditação já se mostrou eficaz em vários sentidos. É por isso que ela tem se popularizado, ganhando cada vez mais adeptos. O ideal é que, antes de começar a praticar esse tipo de exercício, você fale com um especialista. Ele te dará todas as orientações necessárias para a prática.