Consumir Cúrcuma em Excesso Pode Ter Efeitos Colaterais?


Proveniente do sul da Ásia, a cúrcuma é uma especiaria de coloração amarela popular. Além de ser um ingrediente essencial em muitos pratos indianos, é conhecida por seus diversos benefícios para a saúde. Mas você sabe se consumir cúrcuma em excesso pode ter efeitos colaterais?

O principal ingrediente ativo da cúrcuma, a curcumina, se torna cada dia mais presente nos cardápios mundiais. No entanto, algumas pessoas estão preocupadas com os possíveis efeitos colaterais de doses altas de cúrcuma e curcumina na dieta.

A cúrcuma é uma antiga especiaria indiana usada de forma medicinal. Suas raízes, chamadas rizomas, são de cor amarela ou laranja brilhante e são geralmente secas e moídas em pó.

Conheça algumas especificidades desse produto e regule o seu uso em suas refeições.

Mito ou verdade: consumir cúrcuma em excesso pode ter efeitos colaterais?

A cúrcuma é um ingrediente essencial no preparo do curry indiano, que possui um gosto característico amargo e picante. Quase toda a cúrcuma do mundo é cultivada e consumida na Índia. Porém, com o tempo, o tempero se torna cada vez mais presente nas receitas do dia a dia.

A cúrcuma é formada principalmente por carboidratos, como o amido e a fibra. No entanto, como todos os seus semelhantes na cozinha, ela contém inúmeros compostos vegetais e nutrientes.

Os principais compostos ativos na cúrcuma são os curcuminoides. Eles são responsáveis ​​pela cor amarelo-laranja da especiaria e também pela maioria dos seus benefícios para a saúde.

O curcuminoide mais amplamente estudado é a curcumina, que pode constituir cerca de 3% da cúrcuma (1).

A cúrcuma comercializada geralmente contêm aditivos que incluem, por exemplo, o dióxido de silício. Este é um agente anti-aglomerante que evita o acúmulo de excessos negativos ao corpo.

Por que não se deve consumir cúrcuma em excesso?

A cúrcuma é geralmente utilizada como um corante de especiarias e alimentos. Porém, ela também pode servir como um grande auxílio para o funcionamento equilibrado do corpo.

Veja quais são os principais benefícios da cúrcuma, que são atribuídos à curcumina, seu principal ingrediente ativo:

Inflamação reduzida

inflamação crônica está associada a diversas doenças. Estudos mostram que os suplementos de curcumina podem reduzir os níveis de marcadores inflamatórios (2).

Estado antioxidante melhorado

A curcumina e outros curcuminoides são apontados como poderosos antioxidantes que podem melhorar o funcionamento do corpo (3).

Função melhorada dos vasos sanguíneos

Estudos sugerem que os suplementos de curcumina podem promover a dilatação dos vasos sanguíneos, o aumento do fluxo sanguíneo e a redução da pressão arterial (45).

Risco reduzido de ataque cardíaco

Os benefícios do consumo de cúrcuma também podem diminuir o risco de ataques cardíacos, possivelmente através de seus efeitos anti-inflamatórios (6).

Pontos que mostram que consumir cúrcuma em excesso pode ter efeitos colaterais

Essa regra não vale para todas as pessoas, que, em geral, podem consumir grandes quantidades de cúrcuma sem se preocupar com efeitos colaterais graves. Porém algumas pessoas devem evitar o uso excessivo do tempero (78).

A cúrcuma contém cerca de 2% de oxalato. Em doses elevadas, isso pode contribuir para cálculos renais em indivíduos predispostos (9).

Estudos revelaram que os pós comerciais de cúrcuma podem conter ingredientes negativos à saúde. Estes são semelhantes aos do amido de mandioca, cevada, farinha de trigo e centeio (10).

Comer cúrcuma misturada com esses alimentos causará sintomas adversos em pessoas com intolerância ao glúten ou com doença celíaca. Alguns pós de cúrcuma também podem conter corantes alimentares questionáveis.

Um corante de comida frequentemente usado na Índia é o amarelo metanil, também chamado de ácido amarelo 36. Estudos em animais mostram que o amarelo metanil pode causar câncer. Além disso, pode causar dano neurológico quando consumido em grandes quantidades (111213).

Alguns pós de cúrcuma também podem ser elevados em chumbo, um metal pesado especialmente tóxico para o sistema nervoso. O chumbo pode causar diversos efeitos negativos se absorvido em grandes quantidades pelo corpo (1415).

Os suplementos de curcumina são considerados seguros e nenhum efeito colateral adverso foi relatado se ingerido em doses baixas. Um estudo feito com 10 adultos descobriu que tomar 490 mg de curcumina diariamente por uma semana não causou efeito colateral algum (16).

Outros estudos mostraram que tomar doses de 1.200-2.100 mg de curcumina por dia durante 2-6 semanas não provocou efeitos adversos aparentes (1718). No entanto, uma pequena proporção de pessoas pode experimentar alguns efeitos colaterais leves em doses mais elevadas, que podem incluir:

Problemas digestivos

Algumas pessoas podem experimentar problemas digestivos leves, tais como inchaçorefluxo ácido, flatulência e diarreia ao ingerir doses diárias superiores a 1.000 mg (1920).

Dor de cabeça, náusea e erupção cutânea

Doses de 450 mg ou mais podem causar dor de cabeça e náuseas em um pequeno número de pessoas (2021). Casos raros também foram relatados com erupções cutâneas após tomar uma dose de 8000 mg de curcumina ou mais (20).

Outras implicações

Estudos com ratos apontaram um aumento no tamanho do fígado, presença de pele manchada, úlceras de estômago, inflamação e aumento do risco de câncer intestinal ou hepático nos animais (22).

Portanto, a regra é dosar. Por enquanto, não há evidências de que quantidades baixas de curcumina possam causar efeitos colaterais sérios em seres humanos quando ingeridas em períodos curtos, embora faltem estudos em humanos sobre os efeitos a longo prazo.

Como dosar a quantidade ideal para não consumir cúrcuma em excesso?

Uma vez que se sabe que consumir cúrcuma em excesso pode ter efeitos colaterais, é importante saber quando o consumo se torna exagerado e pode apresentar efeitos colaterais.

Não há recomendações oficiais para a ingestão de cúrcuma e o nível máximo de admissão tolerável ainda não foi identificado. No entanto, como regra geral, você não deve exceder as recomendações de dosagem que  encontra nos rótulos da especiaria.

Apesar de não possuir força científica, o Comité Misto FAO/OMS de Peritos em Aditivos Alimentares (JECFA) estabeleceu a ingestão alimentar aceitável como 3 mg por kg de peso corporal por dia (23). Para um homem de 81 kg, isso se traduz em 239 mg por dia.

No entanto, uma revisão concluiu que doses de 3,600 a 8,000 mg por dia não causam efeitos colaterais graves. Outro estudo demostrou que doses únicas de 12.000 mg foram bem toleradas (2024).

Não há diretrizes oficiais para a ingestão de cúrcuma, mas o nível de ingestão aceitável para curcumina é de 1,4 mg por libra (3 mg / kg) de peso corporal e pode ser administrado no cardápio dos amantes da culinária indiana.

Garantindo a qualidade da cúrcuma em seu uso no cotidiano

Alguns pós de cúrcuma contêm ingredientes duvidosos não mencionadas nos rótulos. Estes pós adulterados são difíceis de identificar sem uma análise química. Portanto, sua melhor opção é escolher a cúrcuma certificada por uma agência respeitável.

Dê preferência para pós de cúrcuma que possuam selos verificados em suas embalagens. Caso esteja tomando suplementos de cúrcuma ou de curcumina, selecione os que tenham uma certificação de qualidade autorizada por terceiros.

Caso esteja procurando novas maneiras de garantir o equilíbrio e a saúde do seu corpo, você pode investir em conhecer o Vital 4K, que, de forma 100% natural, auxilia na queima de gorduras abdominais através da doação de cargas de energia que melhoram a digestão e possuem longa duração!

Una seus benefícios com as doses recomendadas para não consumir cúrcuma em excesso e prepare pratos deliciosos que remetem à culinária indiana com o benefício extra de usufruir de uma fórmula projetada para reduzir a fadiga do cotidiano enquanto cuida de seu organismo!

Conheça: http://www.vital4k.com/3-alimentos-que-roubam-sua-energia.