esquimo
Médico Dinamarquês Descobre:

O Segredo da SAÚDE DE FERRO dos Esquimós da Groenlândia.

Saiba porque esses antigos habitantes do Ártico desfrutam de extrema saúde cardíaca, circulatória, imunológica e neurológica, mesmo comendo muita gordura

Caro leitor,

Você sabia que os esquimós que vivem na gelada e distante região ártica chamada Groenlândia raramente sofrem de artriteinfartocâncer acidente vascular cerebral (AVC)?

O médico dinamarquês Dr. J. Dyerberg estudou os esquimós da Groenlândia por muito tempo e se impressionou com a qualidade de vida deles.

Intrigado... ele resolveu se aprofundar nos hábitos alimentares desta curiosa população.

E chegou a incríveis conclusões.

Veja bem, as primeiras civilizações humanas surgiram em litorais, perto de águas.

Segundo os antropólogos, o homem tem o cérebro que têm hoje porque sempre comeu muito peixe das águas próximas de seus assentamentos.

Em suas inúmeras expedições científicas, os estudos do Dr. Dyerberg mostraram que os esquimós consumiam muita gordura proveniente do peixe e carne de foca.

E ele conseguiu estabelecer uma relação positiva entre a gordura e sua saúde de ferro.

Porque essa gordura é tão importante?

Vamos usar a foca para exemplificar.

A foca vive pelo fundo de um mar muito gelado... mas você já parou para pensar porque o sangue dela não congela?

É justamente por causa de uma"gordura especial", que não permite que o sangue forme coágulos.

Assim como um congestionamento de carros impede que o tráfego flua...

... esses coágulos (trombos) podem obstruir a circulação do sangue no organismo, o que muitas vezes é fatal.

A foca é um mamífero, como todos sabemos... mas você é capaz de adivinhar qual é o seu principal alimento?

Exatamente.... PEIXE!

Não é à toa que os peixes são uma parte crucial do fornecimento de comida do mundo.

Frutos do mar são fonte de muitos nutrientes desde proteínas, vitaminas, minerais, vitamina D, vitamina B12, selênio e iodo.

E os peixe, especialmente aqueles que vivem em águas profundas e geladas como na Groenlândia, fornecem também essas gorduras cruciais.

Testes recentes comprovam que incorporar essas gorduras na alimentação, num período de 4 a 6 semanas, pode melhorar os biomarcadores associados com:

Saúde do Coração

  • Um risco reduzido de desenvolver doença cardíaca em 32%
  • Risco reduzido de morte por ataque cardíaco em 70%
  • Abaixamento de triglicerídeos no sangue em até 32%
  • Auxílio na correção de batimentos cardíacos irregulares
  • Um risco reduzido de AVC em 30%

Redução da Inflamação

  • Diminuição dos sintomas de dor associados à artrite, osteoartrite, dores articulares e dores gerais
  • Diminuição dos biomarcadores inflamatórios associados à doença hepática
  • Diminuição da catarata no idoso em 15%
  • Diminuição do risco de pneumonia em 35%
  • Redução os problemas respiratórios, como asma e bronco constrição, particularmente durante a prática de exercício.

Saúde Ideal do Cérebro

  • Diminuição no risco de doença de Alzheimer
    Diminuição no risco de convulsões em epilépticos
    Aumento do QI em 13%
    Melhor comportamento e capacidade de aprendizado
    Redução da agressão em adultos violentos até 33%
    Diminuição de ocorrências de depressão pós-parto até 51%
    Diminuição na depressão bipolar

Combate ao Câncer

  • Risco reduzido de desenvolver câncer de mama em 26%
    Risco reduzido de desenvolver câncer de próstata em 45%
    Risco reduzido de desenvolver câncer colo-retal em 30%

São benefícios demais para serem ignorados, você concorda?

O Dr. J. Deyerberg também!

Em seus estudos, o médico dinamarquês constatou que um esquimó come uma média de 14 gramas dessa gordura por dia.

Juntamente com seus colegas pesquisadores, Dr. J. Dyerberg passou a elucidar os efeitos fisiológicos únicos desses ácidos graxos.

Essa gordura é a combinação de dois ácidos graxos EPA (Eicosa Pentaenoic Acid ou ácido-ecosa-pentanóico) e DHA (Docosa Hexaenoic Acid ou ácido-docosa-hexaenóico).

Sua própria pesquisa abrange mais de 350 publicações científicas, principalmente sobre lipídios no sangue, aterosclerose, sistema de coagulação do sangue, ácidos graxos poli-insaturados, ácidos graxos trans e prostaglandinas.

Mas... não se preocupe em gravar esses termos científicos complicados!

Nos últimos anos essa gordura especial vem se tornando popular apenas como ÓLEO DE PEIXE ÔMEGA 3.

dr-jorn

Por ter sido o PIONEIRO na descoberta dos seus inúmeros benefícios à saúde, o Dr. Dyerberg é considerado por muitos o Pai do Ômega 3.

Por causa dele, hoje existem mais de 23 mil estudos na área de ômega 3 publicados.

E se você entrar no Google e digitar omega 3 vai encontrar mais de 670 milhões de referências.

A raridade da doença cardíaca entre os esquimós era devida aos ÓLEO DE PEIXE ÔMEGA 3 em sua dieta, que consistia principalmente de peixes oleosos e de água fria.

Ômega 3, 6 ou 9, qual a diferença?

Existem outros tipos de ômega, e para você não se atrapalhar aqui vai uma breve explicação.

Os Ômegas 3, 6 e 9 são ácidos graxos essenciais, ou seja, não são produzidos pelo organismo.

Só é possível obtê-los será através da alimentação ou por meio de suplementos.

Ômega 3 auxilia na redução dos níveis do colesterol ruim (LDL) e triglicerídeos e mantém o cérebro ativo contribuindo para desenvolver a concentração, motivação e coordenação motora. Ele tem ação anti-inflamatória no corpo, combatendo os processos inflamatórios. Mais adiante você vai ver o quanto isso é importante.

É encontrado em peixes (salmão, atum, bacalhau, cavalinha, sardinha, truta), óleos de peixes, sementes de linhaça ou óleo de linhaça.

Ômega 6 é responsável por deixar a pele e cabelo saudáveis e também colabora na prevenção da osteoporose e no controle da pressão arterial. Ele tem ação inflamatória, age para combater bactérias e destruir as infecções em defesa do organismo.

O Ômega 9 participa na produção de alguns hormônios entre eles, o estrógeno (hormônio sexual feminino). Ele ameniza sintomas da TPM e menopausa e também ajuda a eliminar as gorduras da barriga.

É encontrado no azeite de oliva, azeitona, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), abacate, óleo de coco, óleo de avelã, óleo de gergelim.

Qual Ômega devo tomar?

As taxas adequadas de ômega 6 e 9 são facilmente atingidas pela maioria das pessoas que tem uma alimentação normal.

Não podemos dizer o mesmo sobre o ômega 3.

E um desequilíbrio entre os diferentes tipos de ômega pode ser muito PERIGOSO.

6 para 1 é  proporção ideal entre ômega 6 e 3.

Na época paleolítica, vinte mil anos atrás, a nossa proporção diária de ômega 6 para ômega 3 era 3 para 1. Não existiam carboidratos, alimentos industrializados. Tudo vinha da NATUREZA.

Mas hoje, com uma alimentação pobre, fortemente industrializada e baseada em fast food, biscoito e bolacha, essa proporção chega a preocupantes 40 para 1.

Quando você tem muito ômega 6 e pouco ômega 3, você tem processos inflamatórios crônicos.

E toda doença degenerativa, seja ela câncer, alzheimer, parkinson, artrite... tem um componente inflamatório.

O uso do ômega 3 diminui esse processo inflamatório no corpo.

Não existe um exame para saber se estamos com ômega 3 baixo, mas pela fisionomia dá para saber.

Uma pessoa inflamada tem o rosto inchado, brilhoso, vermelho, uma pessoa que tem uma alimentação precária.

Este corpo inflamado fica muito mais predisposto a ter doenças degenerativas como parkingson e alzheimer, doenças auto-imunes, como lupus e artrite reumatóide, e várias outras doenças como esclerose múltipla e câncer.

Ela precisa de ômega 3 para desinflamar. 30% da nossa dieta em que ser de gordura, o problema é que as pessoas estão comendo gordura demais! Muito fast food, biscoito, bolacha.

Se as pessoas estão comendo muito alimento com ômega 6, então estão mantendo o corpo inflamado. 

É por isso que hoje somos pessoas inflamadas.

dores

O ômega 3 melhora, por exemplo, a recuperação muscular (atletas se recuperam rapidinho do treino anterior.

Também combate a inflamação no intestino, melhorando a absorção de todos os nutrientes.

Você sabia que 70% da nossa produção de serotonina, que é hormônio do prazer e bem-estar, é produzida no intestino?

Se você tem um processo inflamatório intestinal, você não vai ter uma produção de serotonina adequada.

Você pode desenvolver compulsão alimentar por coisas que não precisa, como doces e salgados em excesso.

Então o ômega 3 ajuda a emagrecer, porque diminui a sua necessidade de comer besteiras!

ATENÇÃO: Se você não cuida do seu intestino você está complicando sua vida.

Quais são os tipos de ômega-3 hoje disponíveis?

Hoje nós temos o ômega 3 chamado vegetal e e o que vem do peixe.

O principal ômega 3 vegetal vem do óleo de linhaça, que um ácido graxo chamado alfa-linolênico.

Esse alfa-linolênico entra no corpo e vai virar o EPA e o DHA, se você têm menos de 30 anos.

A partir do tempo que você vai envelhecendo, ingerir o óleo de linhaça para essa finalidade já não resolve muito, porque pouco é transformado. A taxa de conversão é muito baixa.

A outra alternativa é você fazer o uso de animais do mar, que vivem em áreas frias e profundas, como é o caso do salmão, sardinha, truta e e atum.

Só que aí mora um GRANDE PROBLEMA: 

O mundo inteiro JÁ sabe nós precisamos de
Óleo de Peixe Ômega 3

peixe

Então o mundo começou a procurar tanto por Ômega 3 que nossos mares e oceanos começaram a esvaziar de peixe.

E a conseqüência disso, qual foi?

Países do mundo inteiro começaram a fazer criadouros de peixe, ou seja criando de forma artificial.

Do mesmo jeito que acontece com a vaca e com a galinha, o homem meteu a mão e começou a criar peixe também fora do mar.

Para você ter uma ideia, hoje metade dos frutos do mar nos Estados Unidos vem de cativeiro. A produção quase que triplicou nas últimas décadas.

Porém, isso trouxe outro grande problema: Esses peixes não se alimentam mais do que o peixe natural se alimenta.

Em uma forma mais tradicional, os peixes de fazendas eram alimentados semelhante ao peixe natural que come às vezes outros peixes, plantas, plânctons, algas e até óleos e restos de outros peixes.

Agora... convenhamos: não deve ser nada fácil alimentar uma população de peixes gigantesca, numa demanda que cresce todo dia.

Então, comida boa pra peixe se tornou DIFÍCIL.

É por isso que muitos desses animais agora comem RAÇÃO à base de milho, de soja, de óleos vegetais, de óleo de canola...

(... ou seja: você não usa o óleo para fritar, mas o teu peixinho usa!)

E ainda existem os peixes que contém produtos químicos ou produtos tóxicos. Isso sem falar dos antibióticos que eles tomam pare prevenir ou curar infecções!

Enfim, do mesmo jeito que é melhor comer galinha caipira é melhor comer o peixe selvagem, o peixe que não está preso.

Mas aí tem outro problema que é a contaminação, a POLUIÇÃO.

As indústrias de carvão e de petróleo passaram décadas poluindo nossos mares, despejando mercúrio nos rios e mares.

peixe-1

E se você não enxerga esses produtos químicos, eles estão no seu corpo, porque eles são absorvidos pelos peixes e por você.

Tudo isso quer dizer que comer frutos do mar hoje em dia é uma complicação.

Olha só...

Comer salmão duas vezes por semana já seria o suficiente para diminuir o risco de ataque cardíaco, derrame, arritmia, pressão alta e diminuir os níveis de triglicérides..

Mas benefícios semelhantes também podem ser encontrados comendo outros peixes ricos em Ômega 3, especialmente sardinha (fresca, não a enlatada!) e cavala.

Ou seja dinheiro não é problema, porque se é caro começar salmão e cavala, comer sardinha é barato.

Esses ácidos graxos da família do Ômega 3 são tão especiais que praticamente todas as autoridades de saúde do mundo inteiro concordam que eles devem ser ingeridos por nós.

Os ácidos graxos Ômega 3 EPA e DHA do Óleo de Peixe diminuem o risco de câncer, diabetes tipo 2, artrite reumatóide e outras doenças autoimunes, assim com depressão e inflamações.

Resumindo, peixe é um alimento maravilhoso, porém você tem que pesquisar para saber sua procedência, de onde ele está vindo.

E se você tiver dificuldade de encontrar fontes saudáveis e naturais para comprar o seu peixe, faça uso de suplementação diária de Ômega 3 de excelente procedência, com alta pureza, dosagem e procedência confiáveis.

Não sabe onde encontrar o seu Ômega 3 ideal?

A Doutor Nature entrega mais que fórmulas naturais, de alta qualidade. Nós fizemos um voto para transmitir o melhor conhecimento para empoderar sua saúde, para que você possa realmente “viver bem.”

Confiamos tanto na qualidade dos nossos produtos e na eficácia do NATURE ÔMEGA 3 para os diversos tipos de problema de saúde, que GARANTIMOS:

Se você não sentir uma mudança perceptível em até 60 dias, nós lhe daremos um reembolso completo.

Omega3-1U

Vá até o fim desta página e clique no botão "PRÓXIMO PASSO" para garantir seu estoque.

Comece hoje a tomar o Nature Ômega 3, e você perceberá benefícios como:

  • Indispensável para um bom desempenho cerebral e cognitivo;
  • Atua na produção de substâncias anti-inflamatórias, auxiliando na saúde do coração e a circulação sanguínea.
  • Extraído de águas frias e profundas das regiões polares;

Clique no botão “PRÓXIMO PASSO” abaixo para garantir seu estoque sem riscos de NATURE ÔMEGA 3 hoje mesmo.

O que estão dizendo sobre o Ômega 3

Foi o melhor suplemento que já tomei, tudo na minha vida melhorou. Eu e minha família tomamos todos os dias!

Gercina B.

Minha nutricionista passou para que eu tomasse omega 3, é muito bom. Até me ajudou emagrecer.

Esmeralda R.

Meus exames estão melhores em todos os indicadores. Queria ter descoberto essa maravilha omega 3 há mais tempo!

Osvaldo J.

Parece que ganhei um intestino novo em folha! Vivo muito mais feliz agora que tomo omega 3 todo dia :-)

Eliana A.

warranty2
Omega3-3U

(Você Pode Revisar Seu Pedido Antes de Finalizar)

A Doutor Nature é uma empresa brasileira, voltada ao mercado editorial na área de saúde natural e produtora de suplementos alimentares. Oferecemos a você um contato estreito com o mundo do tratamento não-convencional, suplementação alimentar saudável, hábitos de vida longínqua e bem-estar.

Disclosure

Política de Privacidade