É Seguro Usar Papel Alumínio na Cozinha?


O papel alumínio é muito versátil e é considerado um dos produtos mais práticos e altamente utilizados nas cozinhas do mundo todo. Seja para melhorar o cozimento de alimentos, manter estáveis suas temperaturas ou simplesmente para cobri-los e guardá-los. Mas você sabe se é seguro usar papel alumínio na cozinha?

Alguns especialistas afirmam que sim. Já outros, argumentam que ele pode ter substâncias que se instalam em seus alimentos e cuja ingestão prejudica a saúde. A partir da análise de vários estudos e pontos de vista, será possível definir se é seguro usar papel alumínio na cozinha ou não e como fazê-lo.

A folha de alumínio é uma espécie de papel fino e brilhante. Ela é feita a partir do rolamento de grandes lajes de alumínio até que suas espessuras atinjam cerca de 0,2 mm. Essa é a medida ideal para que esteja apta para uso.

O alumínio atua como isolante e transportador térmico, além de evitar a perda de umidade em carnes.

Finalmente, as pessoas também podem usar o papel de alumínio para embrulhar e proteger alimentos mais delicados. Ele pode, ainda, ser usado durante o cozimento de alimentos ou para remover manchas e restos de alimentos de superfícies. Saiba mais sobre esse produto tão versátil.

A importância de saber se é seguro usar papel alumínio na cozinha

A folha de alumínio é um metal fino e é um dos metais mais abundantes na Terra (1). Em seu estado natural, é vinculado a outros elementos, como fosfato, sulfato no solo, rochas e argila. Também é possível encontrá-lo no ar, água e alimentos ingeridos no cotidiano.

O alumínio está presente em muitos alimentos de forma natural. Frutas, vegetais, carnes, peixes, grãos e produtos lácteos são alguns exemplos (2). Folhas de chá, cogumelos, espinafre e rabanetes, também são mais propensos a absorver e acumular alumínio do que outros alimentos (2).

Alimentos processados também possuem taxas de alumínio presentes em sua composição, como conservantes, agentes corantes, antiaglomerantes e espessantes.

Inclusive, estudos comprovam que alimentos produzidos comercialmente contendo aditivos possuem mais alumínio do que alimentos caseiros (34). Outro item que também possui alumínio em sua composição é a água.

Para definir a quantidade de alumínio presente em cada alimento é necessário colocar vários pontos sob análise. Alguns deles são: quão fortemente um alimento absorve e mantém o alumínio em si, qual o teor de alumínio do solo que gerou o alimento, sua embalagem, a adição de aditivos etc.

Medicamentos também são compostos com a presença do alumínio, especialmente os antiácidos. Os fatores já citados possuem taxas de alumínio que especialistas não consideram perigosos à saúde. Isso porque apenas uma pequena parte da taxa total é de fato absorvida pelo corpo.

Os excessos são geralmente expulsos pela urina e pelas fezes, o que não ocorre apenas em corpos que não estão completamente saudáveis (56). Ou seja, geralmente a pequena quantidade de alumínio que ingere-se diariamente é considerada segura (278).

Mas, afinal, é seguro usar papel alumínio na cozinha?

Especialistas afirmam que cozinhar utilizando o papel alumínio pode aumentar o teor deste metal nos alimentos. Uma vez que a maior parte da ingestão de alumínio vem da comida, suas doses podem ser excedidas, até mesmo utilizando-se utensílios que possuam o composto (69).

A quantidade de alumínio que passa na sua comida ao cozinhar com papel alumínio é afetada por uma série de coisas. Algumas delas são: temperatura, cozinhar com alimentos ácidos – como tomates, repolho e ruibarbo e ainda sais e especiarias de cozinha (69).

Portanto, é possível observar que a quantidade de alumínio presente nos alimentos é bastante variável. Ela depende de como são manuseados os diversos fatores de sua cozinha na hora de preparar suas refeições.

Um estudo, por exemplo, descobriu que cozinhar carne vermelha em papel alumínio aumenta seu teor de alumínio entre 89% e 378% (10). A realização desses estudos é muito importante para definir se é seguro usar papel alumínio na cozinha. (9).

Por outro lado, muitos pesquisadores concluíram que as contribuições mínimas do alumínio a partir do uso papel alumínio na cozinha são seguras (611). Ou seja, mesmo aumentando o teor de alumínio nos alimentos, o uso do papel é considerado ainda saudável por especialistas.

Riscos potenciais para a saúde a partir do excesso de alumínio

Mesmo sabendo que o uso de alumínio na cozinha é seguro e o corpo o expele naturalmente (12), existem cuidados a serem tomados. Alguns especialistas estão relacionando o alumínio à doença de Alzheimer.

A doença de Alzheimer é uma condição neurológica causada por uma perda de células cerebrais. As pessoas com a condição experimentam perda de memória e uma redução na função cerebral (13).

Apesar de ainda possuir causa desconhecida, existem grandes chances de se originar através de fatores genéticos e ambientais. Estes podem prejudicar o cérebro ao longo do tempo (14).

Pessoas com a doença de Alzheimer geralmente possuem altos níveis de alumínios no cérebro.

No entanto, não há ligação entre pessoas que ingerem altas taxas de alumínio devido ao uso de medicamentos – como antiácidos – e o Alzheimer. De fato, não está claro se o alumínio na dieta é verdadeiramente uma causa para a doença (6).

É possível que a exposição a níveis muito elevados de alumínio na dieta possa contribuir para o desenvolvimento de doenças cerebrais como a doença de Alzheimer (151617). No entanto, essa informação ainda não pode ser comprovada, bem como o papel exato de contribuição do alumínio na doença.

Alguns estudos sugeriram que a ingestão do alumínio na dieta poderia ser um fator de risco ambiental para a chamada doença inflamatória intestinal (IBD) (1819).

Apesar de estudos pequenos e outros feitos em animais, que aludem essa correlação, nenhum deles ainda encontrou uma ligação definitiva entre a ingestão de alumínio e IBD (2021).

Como minimizar a exposição ao alumínio na hora de cozinhar?

Saber se é seguro usar papel alumínio na cozinha ou não, na realidade, não é o suficiente para eliminá-lo completamente da dieta. Até porque ele está presente naturalmente em diversos alimentos e medicamentos. Porém, é possível minimizá-lo, caso haja desconfiança de seus malefícios e tornar a rotina menos arriscada.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Food and Drug Administration (FDA) concordaram que níveis abaixo de 2 mg de alumínio por peso corporal provavelmente não causaria problemas de saúde (22).

Já a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos usa uma estimativa um pouco mais conservadora, de 1 mg por peso corporal (2). No geral, é assumido que a maioria das pessoas consome muito menos do que isso a cada semana (278).

Por isso, use utensílios que não sejam de alumínio para cozinhar seus alimentos, como pratos e utensílios de vidro ou porcelana. Evite também alimentos processados e embalados. Isso porque estes contém aditivos alimentares que agregam alumínio em níveis mais elevados que seus equivalentes caseiros (34).

Para diminuir o uso de alumínio na cozinha, você ainda pode apostar em outras medidas. Caso ainda não esteja convencido se é seguro usar papel alumínio na cozinha, evite cozinhar em altas temperaturas e reduza o uso do papel alumínio para cozinhar. Faça isso especialmente se estiver cozinhando com alimentos ácidos. Prevenção em primeiro lugar!