Queijo Feta: Bom Ou Ruim?


O queijo feta é um tipo de queijo macio, de cor clara e salgado. Além de ser uma excelente fonte de cálcio, ele é extremamente nutritivo. Este queijo é muito famoso na Grécia, por ser parte da cozinha mediterrânea, e está começando a ganhar fama em outros países, como o Brasil.

Ele é bastante versátil e pode ser usado como petiscos ou em pratos. Sua produção acontece em algumas áreas da Grécia, garantindo a ele o selo DOP (Designação de Origem Protegida). Por isso seu padrão de qualidade é bem rigoroso.

Por ser feito com leite de ovelhas e cabras criadas de forma única, isso lhe confere características que também são únicas (1).

Seu sabor é característico e levemente picante, quando produzido com leite de cabra. Ele costuma ser mais forte quando feito com leite de ovelha. Seu toque é suave e, na boca, se torna cremoso.

2 Presentes + Acesso VIP GRÁTIS!

Cadastre-se e recebe agora 2 Books com 20 Receitas Caseiras SUPERSUCOS + 14 Práticos Chás TERAPÊUTICOS + Acesso VIP Premium.

envelope
envelope

Saiba tudo sobre o queijo feta, um dos mais nutritivos do mundo

O queijo feta pode ser feito com leite de ovelha, leite de cabra ou uma mistura dos dois. Porém, quando misturado só pode haver 30% de leite de cabra na mistura (1).

Tanto o leite cru quanto o pasteurizado são bons para a produção do feta. Caso opte-se pela opção pasteurizada, tem-se a adição de culturas indicadoras de ácido lático. Estas são capazes de auxiliar na separação do soro da coalhada, composta de caseína.

Terminado esse processo, o soro é drenado da coalhada durante 24 horas, moldando-a. Quando ela se torna firme, é cortada em cubos, salgada e armazenada por até 3 dias. Após isso, os blocos são refrigerados por até dois meses depois de mergulhados em sal.

Ao ser comercializado, o queijo feta é tirado do armazenamento para salmouras contidas em embalagens. É isso que o mantém fresco até que seja consumido.

Esse queijo é saudável e recheado de nutrientes. O consumo de 28 g fornece 74 calorias Nessa quantidade, 6 g são gordura, 4 g são proteínas e 1,1 g é carboidrato. Ele supre 14% do índice recomendado diariamente de cálcio, 9% de fósforo, 13% de sódio, 8% de vitamina B12 e 6% de vitamina B6, além de zinco e selênio (2).

Em sua composição é possível encontrar boas taxas de vitamina K e A, além de ácido folato, ácido pantotênico, ferro e magnésio. O feta é pouco gorduroso e calórico, sendo mais saudável que outros queijos, como o parmesão e o cheddar (2). Ele também possui mais vitaminas e cálcio do que o queijo muçarela, a ricota, o cottage e o queijo de cabra (2345678).

O queijo feta é excelente para a saúde dos ossos

Devido a seu alto teor de cálcio, a dieta ocidental tem considerado o feta uma excelente opção para a saúde dos ossos. Além disso, ele se mostra rico em fósforo e proteína (910).

Esses compostos auxiliam na boa densidade óssea. Por isso são capaz de prevenir doenças da terceira idade, como a osteoporose (9101112).

Uma porção de queijo feta é ideal para ossos e proporciona o dobro de cálcio em relação ao fósforo. Por isso é considerada equilibrada e saudável (21314).

Os leites utilizados na produção do feta são naturalmente mais ricos em cálcio e fósforo do que os outros. E este é outro motivo pelo qual ele é essencial para suprir as necessidades diárias dessas substâncias (151617).

O intestino se beneficia do consumo do queijo feta

O queijo feta tem probióticos na composição. Estas são culturas vivas, amigáveis ao intestino. Elas otimizam seu funcionamento e sua saúde. Contando com os Lactobacillus plantarum, ele se torna uma opção saudável (18192021).

No intestino, os probióticos aumentam a imunidade. Eles evitam doenças como a salmonela e o E Coli e melhoram a saúde intestinal (2223).

Um estudo de tubo de ensaio demonstrou que o crescimento de bactérias do queijo feta se dá em um pH baixo; Por isso são capazes de sobreviver nas condições do intestino humano, mesmo que elas envolvam ácidos, como o biliar (182224).

Rico em ácidos graxos

O ácido linoleico conjugado (ALC) é um ácido encontrado em produtos de origem animal. Ele é benéfico para o corpo, aumentando a quantidade massa magra e atuando na melhor composição corporal. Além disso, ele previne doenças, como diabetes e alguns tipos de câncer (2526).

O ALC está mais presente em leites de ovelha do que no de vaca. Isso coloca o queijo feta como mais saudável do que outros queijos, contendo 1,9% ALC, ou seja, 8% de seu teor de gordura (2728).

O tempo de armazenamento e processamento do feta pode diminuir seu teor de ALC. Porém o fato de estarem presentes nele culturas bacterianas estimula o crescimento posterior de sua concentração (129).

Assim, não só o feta se mostra cheio de bons nutrientes e vitaminas, como também estimula a produção de ALC no organismo. Ele é até mesmo capaz de reduzir a incidência de doenças graves, como o câncer de mama, no país onde é mais consumido – a Grécia (28).

Desvantagens do consumo do queijo feta

Como nem tudo é perfeito, o consumo do queijo feta também vem acompanhado de problemáticas. Suas altas doses de sódio e de lactose são alguns exemplos. Esses e outros fatores são resultados dos tipos de leite usados em sua fabricação.

O queijo feta recebe a adição de sal quando coalhado, enquanto é fabricado. Além disso, ele é vendido armazenado em uma salmoura com 7% de sal. Isso faz com que ele seja rico em sódio.

Porém, esse problema pode ser amenizado quando o queijo é enxaguado em água corrente antes de ser consumido. Isso diminui o impacto aos sensíveis ao sal.

A quantidade de lactose no queijo feta pode não ser alta, mas está presente em sua composição. Isso faz com que indivíduos intolerantes não possam comê-lo, assim como vegetarianos e veganos. Em geral, queijos que não passam por amadurecimento possuem altas taxas de lactose.

Considerando que o tempo de envelhecimento do queijo feta não é muito alto, seu teor de lactose pode ser maior do que o presente em outros queijos. Os indivíduos alérgicos também devem descartar seu consumo.

Mulheres grávidas podem ter problemas com o consumo do queijo feta também, especialmente se não for pasteurizado. Uma das bactérias presente em sua composição é a Listeria monocytogenes, extremamente perigosa para a contaminação de gestantes (30).

Não só essas bactérias se tornam empecilhos para as grávidas, mas também o fato de que qualquer alimento cru ou produto lácteo não pasteurizado deve ser evitado em suas dietas.

Queijos produzidos a partir de leites não pasteurizados possuem maiores chances de carregar esse tipo de bactéria do que os que passam pela pasteurização. Além disso, queijos não envelhecidos o suficiente também tem o mesmo problema (30).

Dicas para o consumo do feta

O sabor e a textura desse queijo são deliciosos e inconfundíveis. Na Grécia, eles estão sempre à disposição em reuniões, servindo como excelentes petiscos. Confira algumas dicas para tornar o seu consumo ainda melhor:

  • O queijo feta pode ser adicionado ao pão, temperado com azeite e pimenta;
  • Também pode ser servido puro;
  • Ele fica delicioso em saladas, cortado em cubos ou fatias;
  • Outra opção é grelhá-lo e temperá-lo em seguida;
  • Pratos doces também combinam bastante como feta, como as frutas. Aposte em hortelã e melancia;
  • Você pode adicionar o feta a uma grande salada de frutas e temperá-la com mel.

Agora que você já conhece todas as vantagens e desvantagens do queijo feta, adicione-o a seu cardápio e usufrua de todos os seus benefícios, aprimorando seu cardápio diário e contando com todo o seu sabor.

 

  • ótimo , dr ja comprei seu livro, pode necessito de saber que pode melhorar memória ?? pode me ajudar tenho 60 anos ,

  • >