Você sabe como surgiu o nosso encantamento com cabelos bonitos? Veja essa curiosa história dos estilos de cabelos!


A moda sempre foi um constante na vida das pessoas. Enganam-se, entretanto, aqueles que pensam que a moda está ligada somente às roupas.

Os cabelos são partes fundamentais na composição dos looks e, embora as mulheres de hoje possam contar com a ajuda de equipamentos que facilitem a tarefa de deixarem seus cabelos “na moda”, as mulheres de outras épocas, mesmo sem tais facilidades, também enfrentavam jornadas embaixo de um secador, além de utilizarem inúmeros artifícios para que seus cabelos estivessem atuais.

Cabelos que marcaram épocas

Desde meados do século 17 a moda dos cabelos ditava que quanto mais alto, mais bonito era o cabelo. Além disso, na época dos grandes reis e rainhas, o cabelo alto indicava a posição da mulher na realeza. Sendo assim, não havia economia quando o assunto era cabelo alto!

As perucas Vitorianas surgiram nos séculos XVII e XVIII e eram utilizadas por homens e mulheres. As perucas eram coloridas com farinha, amido e gesso de Paris, e o branco era a cor do momento.

2 Presentes + Acesso VIP GRÁTIS!

Cadastre-se e recebe agora 2 Books com 20 Receitas Caseiras SUPERSUCOS + 14 Práticos Chás TERAPÊUTICOS + Acesso VIP Premium.

envelope
envelope

As perucas saem, mas os cabelos altos ficam!

Durante muitos séculos, as perucas foram amplamente utilizadas não só pelos monarcas, mas como pela população em geral.

Entretanto, a partir de 1900 o foco passou para o uso do próprio cabelo na criação de estilos inusitados. Um exemplo são os cabelos altíssimos dos anos 60!

Foi a esposa do presidente Americano John Kennedy, Jackie, que marcou uma década inteira com seu cabelo alto e glamouroso. Bastou uma aparição nacional da primeira dama para que as mulheres americanas copiassem o estilo.

O bufante, como era conhecido, não era algo simples de ser feito, por isso, as mulheres da época começaram a apelar para a ajuda de seus cabeleireiros. Depois de feito, contudo, as mulheres não podiam tocar, pentear, amassar ou lavar até voltarem aos seus cabeleireiros!


O bufante caseiro

As mulheres que não podiam arcar com a despesa de ir ao cabeleireiro todas as semanas, optavam por fazer o penteado em casa, o que levava praticamente o dia todo para ficar pronto.

Primeiro, eram usados bobes, depois ficavam embaixo de secadores por horas a fio até que o cabelo ficasse totalmente seco. O próximo passo era escová-lo e desfiá-lo para conseguir altura máxima. O penteado era finalizado com muito spray de cabelo para fixar.


A manutenção do penteado

Como percebeu, o penteado era levado extremamente à sério na época. A hora de se aprontar para ir para a cama se tornou um ritual: os cabelos eram escovados e enrolados novamente com bobes para que a altura e o volume se mantivessem.

Os bobes eram do tamanho de latinhas de refrigerante e, por isso, ao terem que sair de casa para ir ao mercado ou outro lugar, as mulheres jogavam uma echarpe em torno dos cabelos e seguiam felizes por seus caminhos. A cena passou a ser tão comum, que o look se tornou aceitável.


A glamourização do bufante e a chegada da colmeia

O penteado ganhou ainda mais força quando atrizes de Hollywood extremamente famosas e idolatradas como Audrey Hepburn e Sophia Loren começaram a usá-lo.

As mulheres que não conseguiam deixar seus cabelos tão altos ainda apelavam para as perucas.

Logo, o bufante saiu de cena e deu espaço para uma ramificação do estilo: a colmeia. Esse nome se originou da semelhança que o penteado tinha com a ponta do avião B52.

A diferença principal entre o bufante e a colmeia é que o último tinha o visual ligeiramente cônico, ou seja, em forma de cone.

A colmeia apresentava variações: a mulher podia usar o cabelo todo ou fazer o penteado somente no topo e deixar o restante dos cabelos soltos.

O penteado se popularizou com as cantoras da época e, trazendo à nossa realidade, voltou com a cantora Amy Winehouse.


Outros estilos marcantes

O Afro também se tornou popular nos anos 60. Utilizados por homens e mulheres negras, era agregado do simbolismo político da época.

Os anos 70 chegaram trazendo cabelos lisos e escorridos no melhor estilo Woodstock. Também marcaram toda uma década. Porém, os anos 80 foram marcados por cabelos altos e volumosos novamente.


O vai e vem da moda

Os estilos de cabelos femininos acompanham o vai e vem da moda como um todo: o que está em alta hoje, pode dar passagem para o que já foi sucesso 20 anos atrás.

Mais do que uma tendência, o importante é usar um estilo de cabelo com o qual você se sinta bem. No final, é o seu bem estar que importa.

Veja também: Perigo: Entenda os efeitos da finasterida no sistema nervoso central e Mito ou Verdade: stress faz o cabelo cair?

>